quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

O vendedor de sonhos


Desde pequena ouço minha mãe dizer que não devo confiar em estranhos, porém é difícil ignorar um velhinho gritando que vende a esperança do mundo. Por um momento, pensei que não passava de um simples vendedor, com mais um slogan barato.  Entretanto, minha curiosidade não se contentou enquanto não me aproximei dele.
Reparei que suas mãos estavam vazias, e não havia nenhum produto ou algo do tipo consigo. Ao seu redor, todos pareciam estar ocupados demais para ouvir o pobre homem, e o ignoravam como se ele simplesmente não estivesse lá.
 - Me desculpe senhor, mas não entendi. O que vendes? – perguntei.
 No primeiro momento obtive uma alta e escandalosa risada, e somente depois de uma longa pausa, ele me respondeu:
 - Você é que não entendeu minha senhora. O que vendo não pode ser comprado. Nem todos sabem lidar com algo tão precioso assim, e muitos acabam o deixando de lado com o tempo. O que vendo não pode ser colocado em uma prateleira ou até mesmo pago com dinheiro. Vendo sonhos, minha senhora, e para ser sincero, não são todos que podem comprá-los. Não se trata de o que você tem, e sim quem você é. Sonhos são como uma estrada de pedras: não importa de onde você vem, e sim para onde você quer ir. Portanto lhe pergunto: Para onde você quer ir?
 - Para onde quero ir? Ora, onde estou já está de bom tamanho. E afinal, como se vende algo que não pode ser comprado?
 Depois de ficar um longo tempo me observando com aquele olhar tão complexo, ele simplesmente suspirou.
 - Estamos em constante movimento, e se você não sabe para onde está indo, sinto informar que a senhora está perdida.
 Sem obter uma resposta para minha pergunta, insisti mais uma vez:
 - Como se vende algo que não pode ser comprado?
 Ele se virou, e quando eu estava quase indo embora, ele se voltou para mim e estendeu-me uma pequena pedra:
 - Está vendo esta simples pedra? Ela não pertence há ninguém, não é mesmo? Julgada como objeto sem valor, poucos gostariam de ter-la, contando que ela seria somente mais um peso inútil em suas vidas. Mas e se descobrissem que essa pedra é valiosíssima? Ela, sem dúvidas, passaria a ser bastante cobiçada.
O mesmo acontece com sonhos minha senhora, eles existem, mas poucos o valorizam. Assim como uma pedra, todos o julgam perda de tempo em suas vidas tão corridas. Mas aí lhe pergunto? Por que correm? Para onde todos tanto querem ir?
Você me disse que está bem onde está, não é mesmo? Mas irá se contentar com essa vida para sempre? Todo caminho é feito de sonhos, e para se chegar a algum lugar, serão eles que te impulsionarão.
 - O senhor me venderia um sonho?
 - Me desculpe, mas não vendo sonhos.
 - Como não? Você não me disse que era um vendedor de sonhos?
 - Eu apenas valorizo a pedra, minha senhora. Se você a deseja, terá que descobrir onde encontrá-la.  Pedras estão por todo lado, porém muitas vezes não podemos vê-las, por estarmos pisando nelas. 

8 comentários:

  1. Muito bom o texto, o final casa perfeitamente!
    Meus parabéns Aline, vejo que você tem talento.
    Feliz Ano Novo.

    Beijos,
    Carol,
    Ah, tá tendo sorteio lá no meu blog, se você quiser aparecer por lá e participar, será muito bem vinda.

    http://caixa-a-a.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada Carol! Feliz ano novo para você também!
    Já visitei seu blog e amei! Com certeza passarei por lá mais vezes ^^

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do texto!
    Tem um livro com o mesmo nome do título!

    Grande beijo e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada May. Me inspirei após ler um comentário sobre esse livro, e estou até querendo lê-lo no momento.

    Beeijo

    ResponderExcluir
  5. Claro que me lembro de você, realmente que nostalgia né? Adorei esse seu novo blog, estou seguindo e espero continuar mantendo contato!
    beijinhos
    blog-cereja.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu também acho que se estamos nos sentindo mal, ficar ouvindo "se aceite" não vai mudar nada, temos que mudar e fazer coisas que vão nos fazer melhor porque é a realidade!
    beijos
    blog-cereja.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Poisé Ana, mas agora estarei sempre por lá, tá? ^^
    E concordo com você. Além do mais, mudar (quase) sempre faz bem, né?kk

    ResponderExcluir
  8. Muito bom o texto, faz tempo que acompanho o blog, mas não comentei em nada (até agora, hihi), então aproveito pra dizer que gosto muito daqui!

    Beijos
    http://www.borboletasnacabeca.jkg.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...